01 ago

Agosto: o mês de incentivo à amamentação

Este é o 27° ano que mais de 120 países celebram a Semana Mundial do Aleitamento Materno entre o dia 1 e 7 de agosto.

Esta data foi definida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) com base na Declaração de Innocenti, assinada em 1º de agosto de 1990.

E em 2017, o Congresso Nacional Brasileiro instituiu, por meio da lei número 13.435, o Mês do Aleitamento Materno: o Agosto Dourado.

Assim, durante o mês de agosto são gerados debates e divulgadas mais informações com foco na importância da amamentação.

Neste ano, 2019, a Semana Mundial do Aleitamento Materno definiu o seu tema focando no empoderamento da mãe e do pai para favorecer a amamentação.

Para isso serão discutidos tópicos como, por exemplo, apoio à amamentação nas empresas, com intervalos regulares para amamentar, e licença parental remunerada (para mães e pais).

Segundo dados da Unicef, para os países que adotaram essas políticas nas últimas décadas, o aumento do emprego feminino impulsionou o crescimento do Produto Interno Bruto per capita entre 10% e 20%.

E também, o trabalho em conjunto do pai e da mãe possibilita a amamentação exclusiva, melhora o apego entre o pai e a criança, o relacionamento do casal e o desenvolvimento infantil.

“Não há outro momento mais crucial para a vida das crianças do que seus primeiros anos”, declarou a diretora executiva do UNICEF, Henrietta Fore. “É, por isso, que precisamos de uma mudança transformativa na forma como empresas e governos investem em políticas e práticas que não apenas apoiem o desenvolvimento saudável do cérebro, mas também fortaleçam o vínculo entre pais e mães e suas crianças – e obtenham enormes benefícios econômicos e sociais em troca”.

Como podemos ver a amamentação tem um papel social fundamental e traz benefícios incontáveis em diversos setores e áreas da vida das pessoas.

Além do mais, os benefícios diretos para a saúde do bebê são incontestáveis.
A amamentação é a base da vida dos filhotinhos. Nutre, constrói sua saúde, impacta todos os sistemas do organismo, desenvolvimento cognitivo e emocional.

Por isso a recomendação é que a o bebê se alimente exclusivamente de leite materno até os 6 meses. E até os dois anos de idade complemente a alimentação com outros alimentos.

Alguns dos benefícios do aleitamento materno segundo estudos apontados no Documento Científico da Sociedade Brasileira de Pediatria:

Impacto na inteligência
Maior QI nas crianças amamentadas quando comparadas com as não amamentadas. E estudos no Brasil mostram que a amamentação tem efeito a longo prazo na inteligência e escolaridade alcançada.

Impacto na saúde mental
O leite materno contém substâncias bioativas, tais como ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa (AGPICL), que são essenciais para o desenvolvimento cerebral. Estudos demonstram que uma maior duração da amamentação está associada a menos sintomas de déficit de atenção e hiperatividade e melhora nas áreas comportamentais relacionadas.

Imunologia
O leite materno é reconhecido como a primeira vacina. E as crianças amamentadas com leite materno desenvolvem menos doenças alérgicas.

Mortalidade
Crianças amamentadas e menores de 6 meses tem 12% do risco de morte apresentado pelas que não foram amamentadas.
E o risco de morte foi 50% menor em crianças amamentadas de 6 a 23 meses.

Sobrepeso e obesidade
Crianças amamentadas tem 26% menos chances de desenvolver sobrepeso ou obesidade mais tarde na infância, adolescência ou fase adulta.

Ao longo do mês de agosto publicaremos todas as quintas-feiras um post na FanPage da Caverna do Dino/ Barriga Verde com mais informações sobre a importância da amamentação. Acompanhe a gente por lá para para trocar uma ideia sobre esse assunto tão importante e legal.

posts relacionados

Deixe um comentário